Juliana e Mariano

 10/01/16

Casal: Juliana (30 anos) e Mariano (36 anos)

“A nossa história começou em 2003. Uma amiga em comum achou que a gente deveria se conhecer pois tínhamos muito em comum: ele estava na faculdade de psicologia e eu estava fazendo vestibular para psicologia; ele tinha cabelo azul e eu queria pintar o cabelo de azul; entre outras coisas. Nem ela imaginava que daríamos tão certo assim!

Começamos a trocar mensagens pelo ICQ (o messenger da época) e viramos várias noites conversando até que ele finalmente me chamou para sair. Desde então nunca mais nos desgrudamos!

No início ninguém acreditava que daríamos certo, pois tínhamos quase 7 anos de diferença e todos achavam que ele era só um “papa anjo” e que eu era boba por acreditar que ele gostava de mim. Acho que só depois do nosso segundo ano juntos que começaram a perceber que ele realmente gostava de mim.

Vivemos muitas coisas juntos nesses quase 13 anos de namoro: cursamos a faculdade de psicologia, tivemos cabelo azul, fizemos  pós graduação, viajamos, engordamos e fizemos dieta, brigamos e fizemos as pazes, acompanhamos cada conquista e cada fracasso um do outro, ficamos noivos e este ano, finalmente, vamos casar!

Fico muito feliz de dizer que vou casar com o meu melhor amigo e companheiro. Muitas pessoas brincam que nós somos aquele casal que vai envelhecer e vai ficar sentado de mãos dadas na varanda olhando a paisagem, porque nós somos assim: eternos namorados!

Nesses anos de relacionamento aprendi que nada vem de graça. Não há amor que sustente uma relação que não é cuidada e alimentada! É importante manter uma atitude ativa na relação e estar dedicado a ideia de estar juntos. Nem sempre será possível fazer isso, já que às vezes a vida nos impõe outras prioridades, mas como a relação tem uma estrutura forte, ela não irá ruir tão facilmente assim.

E também aprendi a difícil tarefa de exercitar o “apesar de”: te amar, apesar de X; te admirar, apesar Y… E por aí vai. Sempre vão haver coisas no outro que vão nos tirar do sério e nem sempre vamos falar a mesma língua! Mas enquanto a balança estiver positiva, e nós dois estivermos felizes na companhia um do outro, é possível estar juntos apesar das dificuldades.”